Franquia ou Representação, qual é a melhor opção?

Franquia ou Representação, qual é a melhor opção?

 

Agora que você abriu a sua Agência de Intercâmbio, tem os contratos próprios com as Escolas e demais fornecedores, instalou a Ally, criou seus processos internos, definiu seus produtos e já sabe como gerar leads, qualificar e vender, está na hora de expandir.

 

Atualmente existem duas formas mais comuns, a representação e a franquia, elas vêm acompanhadas de uma marca já conhecida entre os consumidores. Elas também trazem um “manual” de atuação ao empreendedor, o que torna a execução do empreendimento mais simples.

 

Mas apesar dessas semelhanças, franquias e representações são bastante diferentes.

 

Lembre-se que você tem um modelo de negócio comum. Não se ofenda ouvindo isso e nem ache que atendimento personalizado é inovação ou diferencial. Não é, porém, um processo tecnologicamente estruturado, automatizado e forte pode ser. Garanto que pouquíssimas redes oferecem isso.

 

Entenda como funciona a representação comercial

Um representante comercial é o responsável por apresentar os produtos e serviços de uma marca aos consumidores. Mas ele não tem uma empresa registrada com CNPJ. Na verdade, ele é um trabalhador que ganha em cima de comissões e percentuais de venda da marca que representa.

 

Tudo isso significa que o representante comercial é um vendedor dos produtos e serviços da marca que representa. E, como bom vendedor, ele precisa conhecer a fundo cada uma das coisas que oferta. Uma prática muito comum no mercado de intercâmbio, é aquele estudante que tem um tablet com acesso ao Ally nas escolas e auxilia os amigos nas renovações dos vistos.

 

Afinal de contas, os usuários desejam saber quais as vantagens de um curso ou outro, daquela acomodação, daquele seguro e etc.

 

Conhecer seu trabalho também garante ao representante alcançar o seu público-alvo mais facilmente. Inclusive descobrindo quem são essas pessoas e o que elas esperam do seu atendimento.

 

Muita gente também conhece os representantes como revendedores. Eles são profissionais autônomos e não possuem vínculo empregatício com a marca que representam.

 

A menos, é claro, que sejam contratados como empregados de uma empresa. Mas isso não o caracterizaria como empreendedor, mas como funcionário.

 

Para investir em uma representação comercial, o profissional não costuma aplicar muito dinheiro. Normalmente, basta que ele represente algumas escolas e provedores para ter um pequeno estoque de produtos disponíveis para exposição.

 

Além disso, o representante não precisa se limitar a apenas uma marca. Se decidir representar várias de uma só vez, ele poderá tentar realizar diversas vendas aos mesmos consumidores.

 

O trabalho do representante inclui contatos telefônicos, reuniões e visitas a clientes e possíveis parceiros. Assim, ele realizará suas vendas e obterá a comissão vinda da marca.

 

Em geral, uma pessoa pode deixar de ser representante da marca quando quiser, já que não há vínculo empregatício entre ela e a empresa.

 

O que são as franquias?

Como citado antes, fora a facilidade de atuar e contar com uma marca já presente no mercado, franquias e representações são muito diferentes.

 

Começando pelo vínculo criado entre o empreendedor e franqueadora. Esse vínculo ainda não é empregatício, mas sim de uma parceria.

 

Ao adquirir uma franquia, o empreendedor abre uma nova unidade de uma empresa que já existe. Como no caso do McDonald’s, que possui inúmeras unidades de franquia espalhadas pelo mundo.

 

Dessa forma, o indivíduo se torna dono do próprio negócio. Mas ele precisa seguir o plano de negócio da marca, mantendo a padronização da rede. É aqui que entra o grande diferencial. Processos tecnologicamente estruturados!

 

Isso significa que o empreendedor irá comercializar os mesmos produtos e serviços que a marca hoje. Mas em uma nova unidade, em um novo ponto comercial, em outro país, para outras nacionalidades, seguindo rigorosamente o processo estabelecido pelo franqueador master.

 

Para essa padronização, o empresário recebe o plano de negócio da marca. Assim como uma série de treinamentos e suportes, incluindo o suporte jurídico, de marketing e comercial.

 

Assim, executar o negócio se torna bem mais simples. Especialmente considerando que a marca, já conhecida, atrairá os consumidores mais facilmente ao negócio.

 

Outra diferença entre as representações e as franquias é que essas últimas têm um prazo de contrato. Em média, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), esse prazo é de dois anos. Cancelando-o antes, o empreendedor pode ter que quitar algumas taxas.

 

Mas essa regra varia, assim como os suportes da franqueadora. Para conhecer como a franquia escolhida trabalha, você precisará ler sua COF.

 

A COF é a Circular de Oferta de Franquia. Ou seja, o documento que traz todas as informações importantes sobre o negócio. Incluindo o seu histórico, investimento necessário e regras da relação entre franqueado e franqueadora.

 

Como abrir uma franquia?

São vários os setores em que é possível investir em uma franquia. A ABF classifica-os em onze:

 

  • Alimentação
  • Casa e Construção
  • Comunicação, Informática e Eletrônicos
  • Serviços e outros negócios
  • Entretenimento e Lazer
  • Hotelaria e Turismo
  • Limpeza e Conservação
  • Moda
  • Saúde, Beleza e Bem-estar
  • Serviços automotivos
  • Serviços educacionais

 

Só em 2019, o setor de franchising faturou R$ 186,7 bilhões. Em relação ao número de unidades, esse tipo de negócio cresceu 4,7% se comparado ao ano anterior.

 

Para iniciar uma unidade de franquia, o empreendedor precisa primeiro quitar a Taxa de Franquia à franqueadora. Muitas agências estão criando micro franquias, onde o empreendedor pode trabalhar home office, pagando uma taxa bem pequena para iniciar.

 

Depois, ele faz o pagamento periódico de taxas que vão manter o seu suporte e direito de uso da marca. Os valores incluem especialmente a taxa de marketing e sistema operacional, os royalties não são aplicados no setor de educação internacional, porque os franqueados ficam com parte da comissão dos parceiros para custear o setor operacional.

 

Gostaria de receber uma indicação de um advogado que faça todo esse processo por você ou saber mais sobre o sistema operacional Ally para redes de franquia? Entre em contato por email: contato@allyhub.co